top of page

Quem são as mulheres por trás da cachaça Alzira

Se você acha que a cultura cachaceira é direcionada ao público masculino, Você deveria conhecer a história da Célia Miranda Mattos, Aline Bortoletto e a Dona Alzira...

Juntas essas três mulheres idealizaram, inspiraram e produziram um dos melhores Blends de cachaça presentes no mercado.

A história começa com a Célia ou "Celinha" como é mais conhecida, nascida na cidade de Barra Bonita, no interior de São Paulo, formada em letras e seu marido Gustavo Della Colletta Mattos que era publicitário, quando em 2005 decidiram mudar o caminha das suas vidas profissionais e juntos resolveram ir para Paris estudar gastronomia na Le Cordon Blue, uma das mais renomeadas escolas do mundo, transformando o que era hobby do casal em carreira. Duas pessoas muito importantes para a história da cachaça foram os avós de Gustavo.

Filho de imigrantes Italianos, Octaviano Della Colletta teve duas grandes paixões na vida, Dona Alzira, com quem conviveu por 75 anos, e a arte de beber e envelhecer cachaça.


"Ele tinha até um barril em casa, em que fazia seu próprio Blend e envelhecimento conta"


Essa história de amor inspirou Gustavo, neto de Octaviano, e sua esposa Cecilia, a montar uma Destilaria com o nome do Avô e batizar a primeira Cachaça Premium que produziram com o nome da Matriarca. Assim nasceu Alzira. Cachaça leve de alma Brasileira, produzida em Torrinha, no interior de São Paulo.

Aos 100 Anos a Matriarca da família italiana batiza e inspira o primeiro produto da recém lançada destilaria.


"A Alzira foi a primeira feminista que eu conheci," brinca Celinha.

Quem conviveu com ela costuma descrever avó de Gustavo como uma mulher à frente de seu tempo, que ousava desafiar costumes, segundo relatos, Alzira foi a primeira mulher na cidade de Torrinhas a dirigir um carro. Ela simplesmente entrou e saiu dirigindo por toda a cidade. Algo que não era nada comum naquela época, mas isso não impedia de fazer o que queria.


Com Muita inspiração e paixão pela cultura da cachaça, Célia e Gustavo buscaram estabelecer altos padrões para o alambique, que foi construído do zero na cidade de Torrinha - SP.

" Preferimos construir a nossa própria estrutura para conseguirmos exatamente o que queríamos, que era um Alambique de três corpos (com trio de caldeiras) - que pouca gente aqui em São Paulo. É algo diferenciado, que resulta em uma cachaça muito aromática". Explica Celinha.



Quanto ao Blend de Alzira, devido a bagagem gastronômica do casal, foi natural que eles buscassem um destilado com sabores e aromas marcantes, que harmonizassem bem com criações culinárias. Para chegar ao resultado o casal contou com a ajuda da cientista de alimentos Aline Betoletto, de 34 anos. Pós Doutorado pela ESALQ ( Escola Superior de Agricultura da USP) e especializada na produção de bebidas alcoólicas pela Universidade de Bourgogne e AGROUSP Dijon, ambas na França. Aline tem 12 anos de experiência com pesquisa inovadora e consultoria na área. À frente da Inovbev, sua empresa de ciência e tecnologia em bebidas, ela ministra cursos e supervisiona o desenvolvimento de um perfil sensorial para destilados de marcas independentes, especialmente bebidas Premium como a Alzira, ou até trabalhos em grandes corporações como a Cachaça 51.



Destilaria

Na destilaria de Célia e Gustavo, Aline atua na posição de Master Blender, cargo responsável por criar e definir conceitos de novos produtos, com decisões que vão desde o tipo de madeiras usadas até as tostas do barril, o tempo de envelhecimento e a concentração alcoólica da bebida.

Para Alzira, duas madeiras bem brasileiras foram eleitas as protagonistas: A Amburana e o Jequitibá. O equilíbrio entre um perfil mais forte e adocicado, as madeiras escolhidas que trazem a complexidade da bebida, trazendo aromas, cores e sabores que deixa, bem clara a intenção: Faz com que você perceba que nunca provou nada parecido.










Comments


bottom of page